terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Calçados nos Anos 80


Para começar, o mais popular na época, o Conga. O “conguinha” ficou tão famoso, que muitas escolas o adotaram como item obrigatório do Uniforme Escolar, desde o "prézinho", como a gente chamava na época. Impossível ter sido criança nos 80 e nunca ter usado um Conga. Vermelho, azul marinho, cinza... Lona por cima, e borracha na sola. E o mais incrível é que está voltando à moda, não mais a moda popular, mas realmente o mundo da moda, até na SP Fashion Week do ano retrasado haviam modelos desfilando com Congas, virou um 'must' relembrar os 80 no mundo da moda.

Como um dos momentos mais importantes da década, a referência é o calçado que entrou para a história, o Starsax, não pelo calçado em si, mas pela propaganda, que mudou a história da música por aqui, era a primeira vez que uma música dos pais dos anos 80 tocava no Brasil, a banda mais influente do século XX, e logo de cara, na TV.

No começo da propaganda, uma pessoa andando pela linha do trem, calçando um sapato de couro moderno e bem mais macio que os tradicionais, ao fundo tocando uma música sincronizada com seus passos, e ao caminhar pela linha do trem, subia o refrão da música: "Even the greater Stars..." e entrava a única voz da propaganda sem ser a dos pais dos anos 80, "Starsax, o calçado da geração jeans"... Era a primeira vez que o público brasileiro tinha contato com a música do Kraftwerk, a banda que criou as bases de tudo que conhecemos hoje, de A-ha a Depeche Mode, de New Order a Front 242, de Stevie B a Chemical Brothers... a importância histórica do Kraftwerk fez o Starsax se tornar um dos calçados mais famosos da época, como uma escolha bem feita da trilha da propaganda pode mudar a história de um produto...
The Hall of Mirrors do Kraftwerk.


Trilho de trens, sapatos de couro, modernos, macios, a música que mudou a história da minha vida e da maioria dos fãs que viram a propaganda na época, a partir dali foi natural aceitar os filhos do Kraftwerk: New Order, Depeche, Duran, A-ha, Human League, o som da Cyndi Lauper, Madonna, e todos os artistas e bandas que se basearam no synthpop... e a música nunca mais foi a mesma.

A Propaganda em si é muito difícil de conseguir, mas você pode relembrar a música, e viajar no tempo, através deste link:

http://www.youtube.com/watch?v=mj09GkBLheU

Ainda na linha dos sapatos mais estilosos dos 80, o must foi o London Fog, na verdade um sapatinho de camurça que virou item obrigatório em qualquer adolescente dos anos 80, era a principal referência, você não conseguiria sair de casa sem um "London Fog" nos pés... mas calma, não era a marca, era o modelo de sapatinho de camurça que virou referência por ter sido lançado pela London Fog por aqui, e como no caso da Danone, que a gente acaba chamando qualquer Iogurte de Danone (que na verdade é a marca, mas ficou numa forma metafórica de se falar da marca querendo falar do produto), mesmo exemplo do BomBril (palhas de aço) e diversos outros casos, onde a marca virou sinônimo do nome do produto.



Então quando outras marcas lançaram o modelo que foi a maior moda nos pés dos adolescentes mais estilosos dos anos 80, virou referência de vez, Sidewalk, Montana, Cannon, entre outras marcas famosas, acabaram lançando suas versões do "London Fog", surgiram até nova marcas que se baseavam qause unicamente no modelo, algumas até lançaram inovações, como a Free London, que era com o cano um pouco mais alto, e com 2 lances de cordões. Sem esquecer das Botas Commander, febre nos anos 80.

Claro, que surgiram inúmeras cópias, até o Tio do seu amigo, tinha uma sapataria nos fundos de casa que fazia uma versão azul piscina ou verde limão dos novos sapatos da moda, mas como no caso da calça baggy (aliás um item era complemento do outro na moda mais estilosa da época), o sapato de camurça, era uma versão que estourou no Brasil, adaptando à cultura brasileira, ao invés de usar os sapatos de couro dos New Romantic, com calças de linho baggy, usava-se o sapatinho de camurça com o jeans baggy, era o New Romantic brasileiro, que no som também era adaptado, afinal era a chegada do Freestyle, Flash House por aqui, resumindo, se vestia numa forma de Duran brasileiro, adaptado, ouvindo principalmente New Order, Information Society e Afrika Bambaataa com UB 40, isto e, um mix da moda visual do começo dos 80, adaptado ao país, e ouvindo songs de meados e final dos 80. A geração "London Fog" Não houve um garoto que tivesse entre 12 e 18 anos na época, que não usasse o sapato mais estiloso dos 80.


Havia também o Dockside da Samello, também com várias cores, e a versão de camurça da Cannon. Já a Side Walk, além do modelo tradicional estilo de camurça à lá London Fog, havia o de couro com o mesmo design, e bem estiloso, chamado de Canadian Style. Havia também o Zeppelin, em couro, e a propaganda destacava, à prova de chuva. Falando em chuva, até o Vicente Matheus, aquele presidente do corinthians que não acertava uma e soltava várias pérolas ("O Sócrates é Invendável, Inegociável e Imprestável" sobre uma oferta de um time francês na época, "Haja o que hajar, o corínthians vai ser campeão"), foi convidado a fazer propaganda de calçados na TV, e como não poderia faltar, a fala dele tinha que ser bem ao seu estilo - "752 da Vulcabrás, quem sai na chuva é pra se queimar".... típico... Falando em famosos, a Sândalo até contratou a Maitê Proença para a propaganda, para dar um impulso nas vendas, também seguia a mesma linha da Side Walk e London Fog, com direito a versão em couro também.

Mas voltando ao tênis, na família do Conga, All Star, tinha o Bamba, um dos maiores sucessos dos anos 80, vários modelos, uns muitos próximos ao estilo do All Star (o Bamba carinhosamente de “Bamba Cabeção”) chegando até os quadriculados, o Bamba Náutico (a versão do Bamba para o Rainha Yatch), que foi uma das maiores vendagens da marca. Na mesma linha do All Star (também chamado na época de “mal-estar”... rs), surgiu o Panda, com canos altos, lembrando muito o estilo consagrado pela famosa marca. A propaganda dizia “Com Panda, você vira Fera”. Haviam também os preferidos para andar de Skate, como o Mad Rats. A Rainha também lançou sua versão, o Rainha Skating em 88, o principal era o vermelho e azul, com a sola branca, cano alto, e na ponta, um reforço para suportar as manobras mais radicais. Um símbolo da década era o Forward (ou como se falava na época "faruaite"), que tinha o maior fluxo advindo do Paraguai, era top para a galera em uma época que não importava a procedência, o importante era o Forward no pé, que era mais "style" do que usar o All Star nacional, o Forward que fez mais sucesso era o preto de cano alto, mas também tinha o branco com solado verde e detalhes em azul... bem New Wave. E o Tênis Chinesinho, branco com solado todo verde, às vezes com solado vermelho, que tinha uma estrela.


E o Kichute... o Brasil em que a febre da criançada era jogar futebol, surgiu na idéia de criar uma calçado que imitasse uma chuteira como dos principais jogadores da época, Falcão, Zico, Careca, e ao mesmo tempo a criança pudesse andar e brincar no asfalto ou nos campinhos de terra da nossa infância, o Kichute, que acompanhava uma miniatura da bandeira do Brasil no tênis.


Na linha esportiva, ainda tinham o Le Coq Sportif, o Montreal (com o slogan, “porque você é jovem”), o Daytona, o Le Cheval, o Mizzuno Volley (item mais disputado da Mizzuno na época), o vermelho e branco, logo após o grande sucesso da geração de prata (como ficou a geração que conseguiu resultados inéditos para o vôlei brasileiro, abrindo caminho para a futura geração do ouro olímpico). Claro, que haviam também as marcas mais tradicionais como a Adidas, que lançou vários modelos na época, incluindo um especial para jogar Tênis, com o nome de Luiz Mattar, o principal tenista brasileiro dos anos 80. A Topper investiu pesado também, mais forte no futebol, lançando inclusive alguns modelos direcionados para a galera do Futebol de Salão. Outro que investiu na linha esportiva foi o Olympikus, com seu modelo Light (sob o slogan "mais leve e mais macio que qualquer outro tênis"), a versão da Olympikus para o Yatch, além de ter lançado os modelos, Náutico, Basket, e um só para as garotas, cheio de flores e desenhos sobre uma base preta, o Femme. Um pouco mais sofisticado tinha o Redley, também no meio termo entre o visual esporte e o passeio no Shopping Center, embora fosse usado apenas na segunda opção, por ser mais estiloso.


Ainda no estilo esportivo, a Rainha esteve à frente em muitas inovações, e com certeza o Rainha Yatch, foi a mais forte delas. No começo, estourou nas cidades litorâneas, e aos poucos quem ia para a praia, não esquecia seu Rainha Yatch. A moda pegou, por ser mais confortável e macio para locomoção, facílimo de tirar do pé, sem cadarços, e nada mais que atrapalhasse, tão fácil quanto tirar um chinelo, tá certo que a sola era muito fina e a própria lona em cima era extremamente frágil, não tinha como não rasgar com o tempo, sempre aparecia o dedão, aí o jeito era aposentar... tudo bem, algumas pessoas continuavam usando com o dedão pra fora, mas é outra história... rs.

New BalanceNos tênis também haviam os mais estilosos, como da Nike, e o New Balance que virou a febre dos anos 80, com um N grande. Outra marca que ficou muito forte pelos seus modelos e virou a principal moda do final dos 80 ao lado do New Balance em matéria de tênis, foi a Reebok, era sinal de status ter os mais disputados modelos da Reebok (aliás, até hoje ainda são disputados os top modelos). Da Nike, haviam ainda poucas combinações cores (perto da imensa variedade que existe hoje em dia), mas o mais bonito, era o Nike cinza e rosa, todo cinza com o logo da marca, na lateral em rosa, era o mais disputado da marca, entre garotos e garotas, diga-se de passagem, afinal nos 80, com o auge do New Romantic, homem usar rosa não havia nenhum tipo de represália, pelo contrário, era característica dos mais estilosos, usar uma camiseta de gola alta rosa da Print Rip, ou uma camisa social rosa da Bruno Minelli (até o Faustão popularizou o estilo camisa social rosa da Bruno, no seu inesquecível Perdidos na Noite), e claro que com o tênis não seria diferente. Queria abrir oportunidades com as garotas da escola, era só ir pra escola com o Nike cinza e rosa, ou o New Balance azul e cinza, ou ainda, o must, o sapatinho de camurça da London Fog.


Da Reebok, um dos modelos que pegaram era o Azul e branco, com sola e palmilhas azuis, sola mais alta que os concorrentes na época, dando uma cara mais esportista, branco com detalhes da marca em azul. A moda para estar "in" nos tênis nos anos 80 era Nike, Reebok e New Balance, no final da década.

MelissinhaPor outro lado, impossível uma garota dos 80 nunca ter usado uma Melissinha...todas as garotas tinham ao menos um dos modelos, não tão variados como os de hoje em dia, mas com modelos que fizeram muito sucesso entre as garotas da época... em 1979 surgiu a primeira Melissa, o modelo Aranha. Tinha também a Melissinha infantil de plástico e com o mesmo cheirinho de chiclete, lançada em 86, uma que vinha com Pochete, outra com relógio e ainda uma com Estojinho de maquiagem, lembram da propaganda? "essa é a pochetizinha que vem com a Melissinha fessora". A Grendene também contratou grandes nomes para lançar os modelos da Melissa, como Jean Paul Gautier, uma verde totalmente New Wave. Teve também a Chanel de um New Wave de gosto discutível e o Modelo Yes Brasil, de 86. A Melissa se popularizou desde o comecinho dos anos 80, logo após a novela Dancing Days, quando várias atrizes desfilavam de Melissa na novela. Não conheço uma garota que nunca tenha usado uma Melissa, que acabou de completar 30 anos. De repente 30...

Um comentário:

  1. gostaria de sabe se por acaso vc sabe a onde encontar alguns modelos de tenis da época pra compar: exemplo, forward com estrel e gumerang sola verde ou cano alto,lodon fog botinha, survivor bota,adidas maraton.

    meu e-mail é sheik.a.rabi@hotmail.com

    Obrigado...fico do aguardo da resposta.

    ResponderExcluir